Um tapinha não dói. Ou dói?

PL 7672/2010: Altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, que dispõe sobre o Estatuto da Criança e do Adolescente, para estabelecer o direito da criança e do adolescente de serem educados e cuidados sem o uso de castigos corporais ou de tratamento cruel ou degradante.

O legislativo aprovou a emenda que estava correndo desde 2010. Vamos começar pelo fato de que o povo só veio discutir agora que já foi aprovado. Coisa tipica do brasileiro que deixa para ultima hora né? Esse projeto de lei diz que os pais devem educar os filhos de outras maneiras que não seja com tapinhas, puxões de orelha ou pázadas(afinal filhos não são cachorros para tratar assim). Conversa será o bastante para educar filhos? Até onde deve ir a mão do estado e a mão dos pais? Porque tanta gente está usando argumentos totalmente imbecis como se eles provassem alguma coisa?



Conversa, carinho e compreensão não são o bastante para educar! Entretanto castigos e surras também não. Eu acho que o que forma o carater do infante é a forma como cada coisa é feita. Se eu dou uma surra com atitude(ATITUDE e não FORÇA) ou converso de forma a deixar bem claro que o que a criança fez é errado, isso funciona. Se você conversa sobre um erro de seu filho assistindo tv ou coloca ele no cantinho da whataver e vai correndo assistir novela, isso não vai funcionar. E surra tem que ser controlada. Se uma criança passa mal após ser castigado fisicamente, você fez errado. Se você não sabe se tem controle ou não, não surre. Mais uma coisa: Erros não se compreende, se corrige ou então evita-se cometê-los novamente.

A proposito: Não faça nada de cabeça quente. Seu filho pode agir por impulso sem parar 2 segundos pra pensar, mas você como pai(e mais que isso: Como educador) não pode fazer a primeira merda que lhe vier na cabeça. Se você não consegue conter a raiva quando seu filho de 7 anos quebra uma janela, imagine a merda que vai ser quando ele virar adolescente. Pense nisso.

Outra coisa que não está muito clara é até onde vai a lei. O que é um tratamento cruel ou degradante? Não existe um livreto com várias situações e um C ou E marcado no quadradinho do lado. Vai depender do bom senso, que vamos combinar, não temos muita sobrando no país. Uma surra de mangueira é cruel? Uma palmada nas costas é? E um tapinha fraco na mãos? Talvez um ríspido “Fique quieto!” seja um tratamento cruel e degradante também…

A ideia de acabar com as palmadas é boa? É, mas precisa ser feita gradativamente e com uma educação melhor dos pais. O projeto foi votado com uma prioridade alta. É uma legislação que não tem como ser aplicada pelo legislativo. E com certeza muitas pessoas vão usa-la pra prejudicar a outra. Casais divorciados acusando um ao outro incessantemente para conseguir a guarda. Definitivamente essa legislação está muito falha ainda. E a forma como fez os nossos representantes não foi a melhor forma. uma ação publicitaria, dar palestras em maternidades, até mesmo comprar 30 segundos em uma novela da globo seria imensamente mais funcional do que essa lei. Tái um mantra para o legislativo: Não proíba. Conscientize.

Eu penso que o estado agiu de forma exagerada, sem refletir o impacto negativo que essa lei gerará. Criaram uma lei que não pode ser cumprida, os pais provavelmente perderam parte da autoridade que lhe restava, e vou lembrar que esse projeto semi-inutil era uma prioridade. Desperdicio de tempo e dinheiro publico, colocando na roda um problema supérfluo comparado a tantos outros muito mais urgentes. Não é que esse projeto não deveria existir, mas ele não deveria existir AGORA! Pena que aparentemente nosso legislativo é uma criança mimada que não sabe pensar 5 minutos a frente. Se ao menos pudéssemos dar uma palmadinha nele…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s