Seria uma vez…

Em uma favela qualquer do rio de janeiro, uma vez, nasceu um garoto. Mulato beirando o negro, cabelo quase raspado. Ele era o filho de um carpinteiro que já fora fogueteiro do Comando vermelho. Sua mãe era uma defunta qualquer, foi morta pelo marido porque ele suspeitava de traição, como tantas outras familias naquela mesma comunidade. Ele teve uma infância muito triste, vivia junto com alguns parentes de sua mãe e tinha como principal amigo o seu primo joão. Uma trágedia comum naquela região, mas a vida daquele garoto não tinha nada de normal.

Ninguém sabia como, mas aquele garoto não era ignorante como as pessoas ao seu redor. Ele era muito perspicaz e astuto, sempre discutindo com o pastor de sua igreja e falando coisas estranhas para aquela sociedade. Se ele nascesse em outro lugar provavelmente seria um grande filosofo, mas ali era simplesmente um louco. Um lunático que sonhava com um mundo melhor.

Aquele garoto cresceu e fundou sua própria “igreja”. Entre aspas porque ele não usava palavras grandiosas, não queria mostrar que era melhor que aquele pessoal ou tentava ludibriar as pessoas. O que ele fazia  era uma reunião com pessoas relativamente ricas e bem mais esclarecidas. Aqueles ricos viam nele a figura de uma pessoa que venceu na vida e que mesmo passando fome as vezes, ou se machucando como pedreiro, nunca pedia dinheiro aos seus discípulos. Aquele homem justo achava que eles deveriam dar aquele dinheiro a pessoas que realmente precisassem. Aqueles jovens o viam como um anjo. E os pastores de igrejas concorrentes vendo ele levando seu fieis( e o pior: O dinheiro do dízimo) Gritavam em todos os lugares que ele era o próprio demônio, o lúcifer.(considerando que ele era a luz para muitas pessoas, talvez ele merecesse esse ultimo nome)

Aquela igreja cresceu muito. Um dia os fiéis daquele garoto sonhador protestavam pacificamente na frente da Assembléia legislativa do Rio de janeiro para que aprovassem os direitos homossexuais. Umas 30 pessoas armadas, que se diziam Soldados do Senhor, atiraram naqueles manifestantes. Aquele jovem sábio foi preso por aquela horda de demônios, torturado(de inumeras maneiras que eram descritas na biblia para “exorciza-lo”. Até mesmo amarrá-lo em uma cruz os malditos fizeram) e no final das contas colocaram ele entre inumeros pedaços de madeira, jogaram gasolina e ele foi carbonizado.

Mais uma pessoa morta de modo desumano naquela favela. Também era só mais uma pessoa esclarecida em uma época de sombras que foi morto “por Deus”. Sua vida, triste e esperançosa ao mesmo tempo, era só uma estatística. Quando seu corpo foi encontrado e reconhecido ele por si só virou mais uma vítima do fanatismo religioso.

Nome Jesus dos Santos, 33 anos, morto porque queria que os religiosos fossem bondosos e tolerantes como a bíblia ensinava. Foi torturado e morto pelo seu sonho. 2 vezes…

Anúncios

Um comentário sobre “Seria uma vez…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s